segunda-feira, 20 de julho de 2015

Análise games - Dead Island


Dead Island game de ação em primeira pessoa, com elementos de RPG e zumbis, muitos zumbis. Desenvolvido pela Techland e distribuído pela Deep Silver, lançado em setembro de 2011, para PS3 Xbox 360 e PCs.

Quando Dead Island foi anunciado, ganhou destaque quase que instantâneo com o surpreendente, dramático e inesquecível trailer do jogo. O hype foi quase que instantâneo, todos falaram por semanas desse trailer e todos esperavam um novo marco nos games do gênero de  zumbis. E o game superou suas expectativas? Não, longe disso!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Análise games - Depth Hunter 2: Deep Dive


Depth Hunter 2: Deep Dive é um game de simulador de pesca subaquática, com visão em primeira pessoa, desenvolvido e distribuído pelo o estúdio Biart Company LLC. Lançado em agosto de 2014, disponível para celulares e PC.

terça-feira, 23 de junho de 2015

Análise games - SimCity 4



SimCity 4, jogo clássico de administração de cidades, desenvolvido pela Maxis e distribuído pela Eletronic Art, lançado em setembro de 2003 exclusivamente para PCs.

Cá estou eu novamente analisando um game clássico e nostálgico. Conheci a série SimCity na sua terceira edição intitulada SimCity 3000. Lembro que assim que vi o jogo já me viciei e passei horas tentando superar as dificuldades de se gerenciar e expandir uma cidade. Em SimCity 4 o vício foi ainda maior, uma vez que o game não só melhorava de forma incrível as mecânicas de seu antecessor, como também acrescentava novas opções que simplesmente mudavam a forma de se jogar um game de simulador e gerenciamento de cidades.

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Análise cinema - Vingadores 2 Era de Ultron


Vingadores 2 Era de Ultron, é o decimo primeiro filme da Marvel Studios e trás novamente Robert Downey Jr, Chris Evans, Mark Ruffalo,Chris Hemsworth, Samuel L. Jackson, Scarlett Johansson e Jeremy Renner no elenco, com a direção de Joss Whedon.

Na trama vemos Tony Stark, ao lado de Bruce Banner, criando uma inteligencia artificial com o intuito de obter a paz mundial e principalmente criar um poderoso recurso de defesa contra uma possível nova invasão alienígena. Porém tal I.A. assim que cria consciência, conclui que o único meio de obter a paz é detendo os Vingadores e exterminando toda a raça humana.



Cheio de empolgantes cenas de ação e humor na medida certa, Joss Whedon, cumpre com o objetivo de entregar um filme consistente e divertido. Vingadores 2 é quase tão bom quanto o primeiro filme, apresenta um vilão interessantíssimo e desenvolve ainda mais os heróis do universo Marvel, porém confesso que não fiquei tão satisfeito com esse novo filme da Marvel quanto esperava.

Primeiro temos Ultron, que já nos primeiros trailers, demonstrava que seria um vilão bem sombrio, porem o que vemos no filme é um vilão com um inesperado senso de humor e sarcasmo que tornou o personagem bem mais humano e inevitavelmente, menos assustador. Confesso que foi interessante ver esse lado humano do personagem, porém me pareceu desnecessário uma vez que tal característica tirou um pouco da imponência do vilão.

O segundo ponto que não de deixou totalmente satisfeito foi o conflito entre Capitão America e Homem de Ferro, para quem acompanha os filmes da Marvel, sabe que em 2016 teremos o filme Capitão 3 Guerra Civil, onde veremos o embate entre os dois personagem e a expectativa era que em Vingadores 2 víssemos o inicio desse conflito. Porém o que vemos é um breve desentendimento, que é muito pouco explorado e que no final é quase que esquecido, já que ambos os personagem se despedem como se nada tivesse acontecido.

A impressão é que Whedon, não quis se arriscar, jogando na zona segura, entregando um filme extremamente equilibrado entre ação e humor, algo que para o grande publico funciona muito bem, como o próprio primeiro filme provou, porem como fã do universo Marvel queria mais, queria um Ultron tão sombrio que me fizesse esquecer da existência de Thanos, queria um conflito tão marcante entre Homem de Ferro e Capitão America que fizesse o expectador querer escolher um lado. Principalmente esperava um filme que expandisse o universo Marvel, fazendo referencia de forma mais clara aos próximos filmes, porem vemos um filme auto-contido, com inicio, meio e fim, o que é bom, mas que me deixou com uma sensação de que faltou algo.

Claro que essas são as percepções de um fã que queria muito mais que apenas mais um blockbuster, resultado da alta expectativa gerada. Mas de forma algum diminuem a grandiosidade de Vingadores 2, que é um excelente filme, principalmente por conseguir desenvolver os personagens já conhecidos, assim como apresentar novos heróis. O filme acerta em dar destaque ao Gavião Arqueiro, apesar de ter ficado surpreso ao vê-lo com esposa e filhos, assim como acerta em detalhar um pouco mais o passado da Viuva Negra, dessa forma ambos personagens se tornaram ainda mais interessantes e criando uma certa empatia com o publico. Há espaço, inclusive, para o romance entre Hulk e Viuvá Negra, que me pareceu estranho em um primeiro olhar, mas que bem ou mal convence e dá aquele tom de romance que o grande publico tanto gosta.

Entre os novos heróis temos a Feiticeira Escarlate, Mércurio e Visão, os dois primeiros foram muito bem interpretados e foi interessante ver a forma que a Marvel resolveu inseri-los no seu universo cinematográfico, apesar de achar bem clichê a motivações de ambos ao quererem deter os Vingadores. Mas quem rouba a cena é o androide Visão, surpreendendo com seu visual marcante, jamais pensei que um personagem trajando verde, vermelho e amarelo fosse parecer tão imponente no cinema, protagonizando uma das cenas mais memoráveis do filme, se mostrando digno de estar entre os Vingadores. O interessante é que o Visão terá um papel fundamental nos próximos filmes, uma vez que detêm uma das joias do infinito.

Vingadores 2 Era de Ultron não supera o primeiro filme, mas chega bem perto disso, sendo um ótimo filme, equilibrando de maneia excelente humor e ação, com uma pitada de drama e romance, apesar de achar que ele poderia ter sido ainda mais dramático e serio. Um filme que cumpre com o objetivo de entreter, afinal esse é seu maior objetivo, preparando o expectador para o que está por vir nos próximos filmes da Marvel.

"Talvez não haja como faze-los confiar em mim, mas temos que ir logo." - Visão.


segunda-feira, 18 de maio de 2015

Análise games - The Witcher 2: Assassins of Kings


The Witcher 2: Assassins of Kings, segundo game da trilogia idealizada pela CD Projekt Red, que adapta os livros escritos pelo polonês Andrzej Sapkowski. Lançado em maio de 2011 para os PCs, ganhando uma versão para Xbox 360 em abril de 2012.

Na trama, que se inicia quase que imediatamente após os acontecimentos do primeiro game, vemos Geralt de Rivia sendo acusado pelo assassinato do rei Foltest, para poder limpar seu nome o bruxo inicia uma jornada para capturar o verdadeiro assassino, mas no processo acaba se envolvendo novamente em intrigas políticas e no sangrento confronto entre humanos e não humanos.